Portal de Conferências da UnB, 2º Congresso UnB de Contabilidade e Governança - 2nd UnB Conference on Accounting and Governance

Tamanho da fonte: 
Assimetria da Informação e Adoção do IFRS no Brasil: Efeitos sobre a Precificação do Crédito para as Empresas Brasileiras
Afonso Arinos de Farias Gonçalves, Bruno Vinícius Ramos Fernandes

Última alteração: 2016-11-15

Resumo


A introdução do IFRS no Brasil supõe que se reduza a assimetria da informação entre a empresa e os investidores, bem como entre estes, pois alguns usuários possuem maior capacidade de obter informações que outros. Este trabalho verificou a possível redução na assimetria de informação percebida pelos bancos e pelos debenturistas após a adoção do padrão contábil IFRS no Brasil em 2010, através do comportamento da taxa de juros cobrada por ambos. Para isto, utilizou-se informações contábeis de uma amostra de 22 empresas com ações negociadas na BM&FBovespa ininterruptamente desde o quarto trimestre de 2003 até o quarto trimestre de 2014. Utilizando o método de mínimos quadrados em painel, usando o modelo SUR para cross-section com erros-padrão e covariância corrigidas e com dados em painel desbalanceado de efeitos fixos, concluiu-se que houve benefícios para os debenturistas em relação ao risco de seleção adversa e redução da assimetria da informação, com introdução do padrão contábil IFRS no Brasil em 2010. Não podemos concluir que os bancos foram beneficiados. Além disto, também há indicações de que as taxas de juros cobradas por debenturistas foram negativamente afetadas pela adoção. Uma possível conclusão é que a introdução do padrão contábil IFRS implicou na redução da assimetria da informação entre os debenturistas e as empresas.


Palavras-chave


Assimetria da Informação; Seleção Adversa; IFRS; Empréstimos bancários; Debêntures

Texto completo: PDF