Portal de Conferências da UnB, IX Mostra de Estágios da Faculdade de Ciências da Saúde

Tamanho da fonte: 
Contribuições para a Elaboração do Plan PNAE, do Programa Nacional de Alimentação Escolar
Julia Freitas Pereira, Anelise Rizzolo de Oliveira, Isabela Alves

Última alteração: 2019-06-11

Resumo


Esse relato é sobre uma das experiências acadêmicas mais surpreendentes da minha formação: a oportunidade conviver em um ambiente de trabalho em que não me imaginava atuando, mas ao final me percebi muito capaz e de atuar na alimentação escolar ligada à área de saúde coletiva. Essa experiência diz a respeito da vivência de trabalho em equipe, junto a Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional – COSAN na qual eu pude participar de decisões importantes da alimentação escolar em âmbito nacional. Isso teve grandes efeitos no meu modo de pensar sobre as políticas publicas e a contribuição para as pessoas e o público em geral. Em disciplinas teóricas não é possível ter a ideia que podemos trabalhar para promover saúde e segurança alimentar e nutricional para milhares de estudantes espalhados no Brasil todo. Logo, o Estágio de Nutrição Social realizado no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), me conferiu a oportunidade de participar da elaboração de uma nova “ferramenta” nacional de planejamento de cardápios para os/as nutricionistas do Programa Nacional de Alimentação Escolar, chamado de Plan PNAE. O Plan PNAE visa contribuir, incentivar e ajudar os/as nutricionistas na elaboração de fichas técnicas de preparação, que é uma atividade de suma importância, pois a alimentação escolar quantitativamente e nutricionalmente adequada pode contribuir para a aprendizagem, suprimento adequado das necessidades nutricionais dos estudantes e também para a plena execução do PNAE, no cumprimento normativo que está descrito na Resolução CD/FNDE nº 26 de 2013 (CHAVES et al., 2009).

Ao iniciar o estágio de Nutrição Social, no 1/2019, a “ferramenta” ainda não tinha um nome definido. Assim, como estagiária recebi um desafio: propor a Coordenação do PNAE, uma sugestão de nome para a nova “ferramenta”. O nome sugerido foi Plan PNAE, que ao final da avaliação foi o escolhido pela a Coordenadora. Esse foi um dos pontos que mais aprendi e me encorajaram no estágio de nutrição em saúde coletiva: ver o quanto mesmo sendo estagiário, foi possível contribuir para o programa em nível nacional nas questões da alimentação escolar. Com o nome definido, foi necessária a elaboração de um manual de fácil entendimento para descrição do uso dessa “ferramenta”, explicando suas funções e como utilizá-la de forma sucinta e clara, sendo a elaboração do manual realizado por nós estagiários, a pedido da preceptora de estágio.

O Plan PNAE permite o cálculo dos cardápios planejados, ele foi elaborado no Excel e é composto por algumas abas, contém desde a tabela de composição de alimentos, que possibilita a elaboração de fichas técnicas de cada dia da semana do cardápio com a respectiva composição nutricional das preparações, até custo dos cardápios. Ao final, com a junção dos resultados da composição nutricional de cada dia da semana é realizado automaticamente uma média semanal, nela é possível ao nutricionista visualizar como ficará a média da semana com aquele cardápio elaborado, para essa avaliação, para isso, o programa consta  os valores de referência para cada modalidade de ensino e a quantidade de refeições servidas, podendo assim analisar se o que foi elaborado está próximo de ser 100% adequado ao pedido na legislação. Também é possível no programa o/a nutricionista analisar quanto custará determinada preparação ao final do mês, de acordo com a quantidade que é servida e de quantos estudantes que consomem aquela preparação analisada. Por fim, a ferramenta permite que concluindo o planejamento do cardápio, o/a nutricionista possa imprimir as fichas técnicas das preparações por modalidade de ensino e faixa etária, para plena execução do PNAE.

Acredito que outras atividades ainda possam aprimorar o Plan PNAE, com o auxilio de estagiários do curso de nutrição, como tutoriais em vídeos de como utilizar a ferramenta passo a passo com o auxilio do Manual do Plan PNAE. Outro aspecto positivo seria, investir em imagens de divulgação nas redes sociais, para atingir um maior alcance dos profissionais envolvidos na alimentação escolar. Por fim, o Plan PNAE veio para somar nas minhas experiências acadêmicas.

 

Referências Bibliográficas:

CHAVES, L. G. et al. O Programa Nacional de Alimentação Escolar como promotor de hábitos alimentares regionais. Revista de Nutrição, Campinas, v. 22, n. 6, p. 857-866,nov./dez., 2009.