Portal de Conferências da UnB, IX Mostra de Estágios da Faculdade de Ciências da Saúde

Tamanho da fonte: 
Relato de Experiência
Camille Ferreira Souto Mourão Souto Bonfim

Última alteração: 2019-06-13

Resumo


UnB: Universidade de Brasília

Aluna: Camille Ferreira Souto Mourão Bonfim

Disciplina: Estágio Supervisionado

Supervisora: Professora Elza Maria de Souza

Preceptoras: Enfermeira Cristiane de Araújo Martins

Introdução - O estágio supervisionado 1 é um requisito para a graduação no c urso de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília.

Objetivo- Realizar atividades práticas no Posto de Saúde Urbano 02 e no Centro de Saúde 01  DE São Sebastião.

Atividades desenvolvidas -as atividades foram iniciadas em 02/04/2019 com previsão de conclusão para o dia 27/06/2019. Até o presente desenvolvi atividades de estágio em diversas áreas.

No Posto de Saúde 2, onde foi iniciado o estágio, desenvolvi atividades na Sala de Acolhimento. Nesse local o usuário vem em busca de atendimento e o técnico responsável presta os esclarecimentos necessários para prosseguir a atenção na unidade saúde. Embora o posto já conte com um sistema informatizado há escassez de computadores o que provoca longas filas e demora no atendimento, causando muita insatisfação aos usuários. Aprendi usar os sistemas: E-SUS, SISREG e o SISCOM-WEB, os quais são usados para marcação de consulta e abertura de prontuário, marcação de exames e consultas ambulatoriais respectivamente.

Posteriormente estagiei no setor de triagem onde aprendi usar “E-SUS”, para iniciar um prontuário e fazer os encaminhamentos devidos dentro da unidade. Lá pude perceber o quanto é difícil decidir quem vai conseguir atendimento pela demanda espontânea visto que já existem os usuários com consulta agendada. Apesar de uso dos principais critérios para inclusão no atendimento, é muito complicado dispensar as pessoas porque as vezes nos sentimos impotentes para fazer a avaliação de quem realmente precisa do atendimento imediato, usando só  esses critérios, ao dispensar um usuário sem a correta avalição esse poderá estar correndo sérios riscos e escapar à nossa avaliação.

O terceiro setor por onde passei foi a farmacia. Junto com a técnica responsável fiz contagem de medicamentos e realizei a baixa no sistema dos que se encontravam com o prazo de validade vencido e fiz a inclusão dos novos medicamentos para fins de controle de estoque.  Aprendi a dar abaixa no sistema depois que os medicamentos são entregues aos usuários para o devido controle do estoque. O estoque de medicamentos precisa de um acompanhamento constante, a fim de evitar a permanência de medicamentos com prazo de validade vencido. No entanto, verifiquei que essas baixas não são feitas com frequências, visto que havia medicamentos validade vencida há mais de três anos.

A quarta atividade que desenvolvi foram visitas domiciliares na região, juntamente com os  com os agentes comunitários de saúde em suas áreas de atuação.

Visitamos algumas casas para terminar o cadastro e outras cinco em que a haviam notificações de agravos á saúde como caxumba e dengue. Percebi nessas visitas   que é estabelecida uma relação de confiança mútua. A última etapa do estágio será na área de informática, onde ocorre a entrada dos dados e geração de informações do E-SUS, e  onde terei oportunidade conhecer as atividades desenvolvidas pelos residentes de saúde coletiva Essas atividades ocorrerão no Centro de Saúde 01 a partir de 4 de junho do corrente ano.


Considerações finais- Nessas semanas acompanhando os funcionários do Posto de Saúde 2 pude perceber as dificuldades e limitações do serviço por falta de equipamentos, insumos e alguns descuidos, como por exemplo a baixa tardia dos medicamentos. Entretanto, percebi   também que, apesar de todas as dificuldades encontradas, muitos profissionais oferecem o melhor de si para dar um bom atendimento aos usuários que procuram a unidade de saúde, embora sofram agressões verbais frequentes dos usuários indignados com serviços que recebe. Essa experiencia tem sido satisfatória para meu entendimento da dinâmica da atenção básica e para melhor entendimento dos profissionais sobre o papel da Saúde Coletiva e do profissional sanitarista. Para o aprimoramento do serviço seria necessário maior investimento em recursos matérias e em educação permanente para os servidores.