Portal de Conferências da UnB, VIII Jornada Científica da Liga Acadêmica de Gerontologia e Geriatria da UnB (LAGGUnB)

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DO RISCO PARA LESÕES POR PRESSÃO EM IDOSOS COM DEMÊNCIA
Lauana Rocha de Lima Neves, Carla Targino Bruno dos Santos

Última alteração: 2018-11-07

Resumo


INTRODUÇÃO: O aumento da expectativa de vida da população brasileira traz, por consequência, a elevação de doenças crônicas neurodegenerativas, como as demências. A demência é definida como uma condição de declínio das funções cognitivas somado ao comprometimento do estado funcional e social de um indivíduo, elevando a propensão para desenvolvimento de lesão por pressão. À vista disso, este estudo permite conhecer melhor os riscos e fatores associados a este problema de saúde tão prevalente em idosos, auxiliando não só na produção de conhecimento sobre a temática, mas na formação de profissionais da gerontologia e elaboração de políticas direcionadas a esta população. OBJETIVO: A pesquisa tem como objetivo geral avaliar o risco para o desenvolvimento de lesões por pressão em idosos com demência e fatores associados pautados na literatura. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura em que foi utilizada a pergunta norteadora: Qual o risco para o desenvolvimento de lesão por pressão em idosos com demência e quais fatores estão associados a este problema de saúde pública? A busca foi realizada na base de dados eletrônica MEDLINE da Biblioteca Virtual em Saúde, sendo utilizados os descritores controlados, cadastrados nos Descritores em Saúde: idoso, idoso de 80 anos ou mais, lesão por pressão e demência, utilizando os termos “or” e “and” entre estes. Como critérios de inclusão foram selecionados estudos produzidos no período de 2013 a 2018, que respondessem à pergunta norteadora, tratassem de uma pesquisa original e possuíssem seus resumos disponíveis no formato on-line. Foram excluídos artigos de opinião e estudos que não respondiam à pergunta. Para seleção e análise dos artigos foi realizada leitura dos resumos na íntegra e selecionados os que se adequavam ao tema. Após a seleção, os artigos foram categorizados e revisados conforme a pergunta norteadora. RESULTADOS: Os achados da literatura que respondem à pergunta norteadora, base desta revisão integrativa da literatura, foram analisados e categorizados em: fatores de risco, fatores associados e custos hospitalares. Estágio da demência, alimentação adequada, nutrição, imobilidade, déficit no sistema imunológico, repouso no leito por período prolongado, tempo de internação, fragilidade, estado da pele, má perfusão tecidual, idade avançada, estado geral da saúde, incontinência urinária e fecal e má higiene foram identificados como fatores de risco. Fatores como: fatores fisiopatológicos da demência, sarcopenia, atuação da enfermagem, utilização de certos medicamentos, diabetes, doença cardíaca isquêmica e insuficiência renal foram identificados como associados a este desenvolvimento. A demência é a comorbidade que exerce maior impacto nos custos com a prestação da assistência hospitalar, uma vez que indivíduos portadores apresentam quase o dobro de complicações se comparado a indivíduos que não possuem a doença. O tempo de internação foi identificado como o aspecto modificável mais evidente dos custos, variando conforme as características do paciente, da comorbidade, do procedimento e do hospital. DISCUSSÃO/CONCLUSÃO: As lesões por pressão representam atualmente um problema de saúde pública, sendo cada vez mais dispendiosas para os profissionais da área da saúde. Entender a etiologia das lesões por pressão em pacientes com demência como um sinal intrínseco de múltiplas condições crônicas de saúde e diversos fatores situacionais, pode permitir que clínicos priorizem tratamentos específicos para prevenir ou retardar o início destas, o que provavelmente resultará em maiores taxas de sobrevida e melhor qualidade de vida. Para isso, há a necessidade de haver uma comunicação efetiva entre a equipe de saúde, o idoso portador de demência e a família, além da identificação precoce dos pacientes com perfil de risco e a programação de métodos que reduzam ou eliminem esse perfil, a fim de que a prevenção e a recuperação sejam realizadas de forma eficaz.


Palavras-chave


idoso, idoso de 80 anos ou mais, lesão por pressão e demência